Artigos

0Comentário

CONSCIÊNCIA SUSTENTÁVEL EM CADEIA

Por Coriolano Xavier às 04:41:31

Modernos programas de suinocultura sustentável já fazem captação de gases de efeito estufa em larga escala, minimizando impactos ambientais e ainda gerando receita com a venda de créditos de carbono, mostrando que suinocultura limpa também promove sustentabilidade econômica*.

Um desses programas conta com biodigestores instalados em mais de 1.000 granjas suinícolas em regime de Integração (RS, SC, MG e GO) e reduziu a emissão anual de CO2 equivalente em 600 mil toneladas.  Enfim, tratamento de dejetos com a perspectiva de maior retorno do capital investido.

Na mesma cadeia produtiva, no antes da porteira, a empresa de genética líder do mercado também acumula créditos de carbono em suas granjas de melhoramento e desenvolvimento de suínos. Adotou um sistema avançado de tratamento de dejetos que, além do seqüestro de carbono, proporciona grandes volumes de fertilizante, utilizado em cultura de milho que abastece a misturadora de ração do próprio núcleo genético*.

Por falar em lavoura, uma empresa internacional do setor agroquímico já reduziu em 29% as emissões globais de gases de efeito estufa (GEE) por tonelada de produto vendido, comparativamente a 2002*. 

Aliás, por essa época, mais precisamente em 2001, mal se conhecia a certificação de madeira, no Brasil. Foi quando constitui-se e o Conselho Brasileiro de Manejo Florestal, organização não-governamental ligada ao FSC – Forest Stewardship Council, fundado em 1993, no Canadá, e reconhecido em todo o mundo como a mais conceituada certificadora florestal.  Hoje, existem no Brasil mais de 5 milhões de ha sob manejo florestal certificado pelo Conselho e mais de 200 empresas com sua certificação de cadeia de custódia, que garante a rastreabilidade da madeira e produtos com ela confeccionados, da floresta às prateleiras.

Por fim, lançando um olhar sobre o pós-porteira, vamos recordar que já vem de dois anos a abertura do primeiro supermercado (Indaiatura-SP) com instalações  construídas integralmente com base nos pré-requisitos exigidos pelo GBC – Green Building Council, para a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). São vários os aspectos auditados pelo GBC e veja alguns deles: energia elétrica proveniente de fontes renováveis; redução de emissão de CO2 (no caso, 34.000 toneladas/ano); reaproveitamenteo do calor gerado em máquinas para aquecimento de água; e mobiliário com madeira cerificada FSC.

Esses são alguns dos muitos exemplos existentes de casos bem-sucedidos de gestão pela sustentabilidade, no agronegócio. E, talvez pela primeira vez, sob uma perspectiva da década, podemos colecionar exemplo em muitas cadeias produtivas – ou em diferentes elos dentro de uma mesma cadeia.

Ainda não alcançamos o ponto de ver uma cadeia produtiva específica engajada de fio a pavio na gestão para sustentabilidade. Mas no composto geral do agronegócio é cada vez mais freqüente a implementação de ações estruturadas para a redução contínua dos impactos ambientais e ganhos na esfera econômico-social, contribuindo positivamente para recompor nossos parâmetros de sustentabilidade.

Em uma cadeia de demanda derivada – como é o agronegócio – sabe-se que a eficiência dos sistemas são tanto maiores quanto mais eles cortam as atividades da cadeia, do início ao fim, tornando-se um exemplo bem acabado de sinergia. E este parece ser o salto qualitativo que estamos experimentando nos últimos tempos, com uma perspectiva integrada das ações de sustentabilidade antes, dentro e depois da porteira.

Programas realmente eficientes de respeito ambiental e racionalidade de recursos são 100% positivos com o envolvimento de atores nas três grandes áreas do agronegócio, integrando princípios ambientais (preservação de recursos), econômicos (maior retorno do capital) e sociais (cidadania e geração de empregos).

 

(*) Fontes:  sadia.com.br – Programa Suinocultura Sustentável.  •  Basf notícias, junho 2011.  •  Guia Páginas Verdes, flc.org.br. • Planetasustentavel.com.br – Pão de Açúcar.

 

CORIOLANO XAVIER

Conselheiro Fiscal

 

Publicado por

Coriolano Xavier

Coriolano Xavier Ver artigos publicados

Coriolano Xavier é Professor e Coordenador adjunto do Núcleo de Estudos do Agronegócio da ESPM -- Escola Superior de Propaganda e Marketing, Diretor Geral da MCA – Marketing e Comunicação, e Membro do Conselho Consultivo da ABMRA -- Asso...

coriolano.xavier@agriculturasustentavel.org.br

Veja Também


Comentários

Atualizações

Referências

www.agricultura.gov.br

Ministério da Agricultura - Portal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

www.embrapa.gov.br

Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Política de Privacidade | Termos de Uso

2017 © agriculturasustentavel.org.br Imagenet Tecnologia