Artigos

0Comentário

Projeto Rondon, Extensão Universitária e Desenvolvimento Sustentável

Por José Otávio Menten às 02:09:21

Projeto Rondon, Extensão Universitária e Desenvolvimento Sustentável

Um dos aspectos do desenvolvimento sustentável é reduzir as diferenças entre as regiões do Brasil. As ações do Projeto Rondon priorizam locais com maiores necessidades, onde as diferenças são muito evidentes. A presença de professores e estudantes universitários, provenientes de regiões mais desenvolvidas, com melhor qualidade de vida e com formação geral e técnica mais avançadas, permite intercâmbio de conhecimentos e experiências fundamentais para o aprimoramento das atividades profissionais e cidadania. Sem dúvida, todos que participam de um Projeto Rondon, tem uma oportunidade rara de conhecer um Brasil que está além dos livros, da internet e de suas áreas de conforto. Vão se deparar com realidades com as quais não estão acostumados e que dificilmente enfrentariam se não saíssem de suas regiões. Respeitando a cultura local, é possível contribuir muito, durante a estada de cerca de duas semanas, que o Projeto Rondon proporciona de contato com as comunidades. O relacionamento com as autoridades municipais podem contribuir para o aprimoramento das políticas públicas, levando propostas de capacitação de lideranças locais, plano diretor, captação de recursos externos, educação, saúde, saneamento básico e gerenciamento de resíduos, meio ambiente, desenvolvimento rural sustentável, alimentação adequada, aproveitamento de e conservação de alimentos etc.

As comunidades, desde que devidamente mobilizadas pelos parceiros locais, podem se beneficiar muito da presença dos jovens universitários e professores. Chegam com razoável conhecimento do local de atuação, pois prepararam, com a orientação dos professores que acompanham o grupo, um plano de trabalho. Este plano contempla um diagnóstico da área de ação. Quanto mais dados de qualidade forem obtidos ou fornecidos aos estudantes, mais adequado será o plano. Antes da chegada ao local de atuação, um professor realiza uma visita precursora, para conhecer o local, manter contatos iniciais com as autoridades municipais, identificar estrutura para acomodação e alimentação para o grupo etc. Cada IES (Instituição de Ensino Superior) contribui com dois professores e oitos estudantes de diferentes cursos. Todos os cursos podem participar. São classificados em dois conjuntos: "A", envolvendo as áreas de cultura, direitos humanos e justiça, educação e saúde; e "B", envolvendo áreas de comunicação, tecnologia e produção, meio ambiente e trabalho. Em geral, para uma cidade, seguem uma equipe do conjunto "A" e uma do "B". Isto proporciona interação ente professores e estudantes de diferentes áreas, o que é muito benéfico. Também permite o atendimento de todas as áreas que podem ser interessantes para atender as expectativas da população local.

Provavelmente, o Projeto Rondon seja uma das mais importantes iniciativas, no Brasil, de extensão universitária. A iniciativa do Ministério da Defesa deve ser enaltecida. Com tantas carências de recursos financeiros, certamente há necessidade de muito trabalho de convencimento, para conseguir mobilizar, em cada operação, 300 participantes, sendo 60 professores e 240 estudantes universitários, vindos de todos os estados do Brasil. O apoio do exército é fundamental. Além da recepção e treinamento inicial na chegada dos rondonistas, também disponibiliza um militar ara acompanhar as atividades em cada cidade atendida. No mês de julho de 2015 ocorreram duas operações: Bororos, com base em Cuiabá/MT e Itacaíunas, com base em Marabá/PA. Portanto, estão em trabalho de campo, 120 professores, 480 estudantes e 30 militares, além de toda coordenação do Ministério da Defesa e Exército. Trata-se de típica atividade de extensão, que deve ser cada vez mais valorizada, tanto pelas instituições de ensino como pela sociedade como um todo. O estudante aproveita, cada vez mais, as atividades fora da sala, com aulas expositivas; o aprendizado, como o proporcionado pelo Projeto Rondon, fica para o resto da vida. 

Publicado por

José Otávio Menten

José Otávio Menten Ver artigos publicados

José Otavio Menten é Professor Associado da USP/ESALQ, Presidente do CCAS - Conselho Científico para Agricultura Sustentável, Coordenador da CoC-EA (Comissão Coordenadora do Curso de Engenharia Agronômica da USP/ESALQ), Membro do Conselho Sup...

jose.menten@agriculturasustentavel.org.br

Comentários

Atualizações

Referências

www.agricultura.gov.br

Ministério da Agricultura - Portal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

www.embrapa.gov.br

Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Política de Privacidade | Termos de Uso

2017 © agriculturasustentavel.org.br Imagenet Tecnologia